Monthly Archives: March 2009

Cientistas ingleses identificam palavras que estão em vias de extinção

Cientistas da Universidade de Reading, na Inglaterra, descobriram que as palavras “I” (eu), “we” (nós), “who” (quem), e os números “1”, “2”, “3” são algumas das palavras mais antigas das línguas indo-europeias. Estes investigadores criaram um software que permite conhecer a evolução das palavras e identificaram alguns dos termos que podem estar em vias de extinção.

Estudando a evolução das línguas, estes investigadores descobriram que termos como “squeeze” (apertar), “guts” (tripas), “stick” (pau), “throw” (atirar) ou “dirty” (sujo) são algumas das expressões que poderão desaparecer dentro de alguns anos.

“50% das palavras que usamos hoje seriam irreconhecíveis para nossos antepassados que viviam há 2500 anos atrás. Se um viajante no tempo viesse até nós e nos disse que queria recuar até um determinado período, poderíamos apetrecha-lo com um livro de expressões apropriado e assim mantê-lo longe de problemas” afirmou Mark Pagel, professor de Biologia Evolucionaria da Universidade de Reading.

Utilizando um super computador da IBM, apelidado de Thames Blue, conseguiram recuar quase 30.000 anos e reconstruir o ritmo de evolução das palavras nas línguas indo-europeias, prevendo futuras mudanças no vocabulário. O software utiliza um algoritmo, que permite conhecer as palavras utilizadas numa determinada época (passada,presente ou futura) e com que frequência são usadas nas diferentes línguas. As palavras mais antigas que encontraram têm pelo menos 10.000 anos.

Os investigadores conseguiram, através destes estudo, apurar algumas das regras da evolução das palavras: quanto menos são utilizadas mais hipóteses têm se extinguirem, os numerais evoluem mais lentamente, e as conjunções e preposições como “and” (e), “or” (ou), “but” (mas), “on” (sobre), “over” (por cima) e “against” (contra) evoluem 100 vezes mais rapidamente do que os numerais. Por exemplo, a palavra “Throw”, que se espera que venha a evoluir rapidamente, tem uma “half-life”1 de cerca de 900 anos e existem 42 sons independentes para esta palavra em todos os idiomas. Daqui a 10.000 anos, esta palavra poderá ter sido substituída em 10 destes idiomas, incluindo provavelmente o Inglês.

  1. A half-life de uma palavra é a quantidade de tempo esperado para que haja uma hipotese de 50% da palavra a ser substituída por uma palavra completamente diferente []